Meu lar

Sou essencialmente do lar.  Apesar de trabalhar muitas horas fora dele, as vezes.

No  meu lar exercito as atividades criativas  que mais me agradam. Experimento receitas novas com plantas curativas. Leio, faço artes manuais, apesar do pouco talento que tenho. Exercito a escrita, recebo a família e amigos, faço meditação, pratico musica  e minha felicidade se completa quando falo com suas paredes.

Você já falou com as paredes de sua casa? De mente aberta?

Experimente…

Penso que o lar  é um reflexo daquilo que somos, ou como nos compreendemos. É o espaço  que acolhe nossas emoções, ficando com o eco nos  seus cantos. Ela nos conhece perfeitamente. Ali nossa alma fica exposta, sem nenhum pudor.

As plantas também são companheiras incriveis. Falo muito com elas e se me abrir em sensibilidade posso até perceber suas respostas.

Lembro-me de um trabalho que li, a respeito do botânico e cientista americano Luther Burbank. Este homem formidável  e amoroso, dedicou sua vida as plantas, na sua Fazenda experimental em Santa Rosa na Califórnia. Foi Burbank que criou cacto sem espinhos, dialogando diariamente com a planta, prometendo protegê-la. Confiante na sua promessa o cacto cresceu sem espinhos.

Para quem gosta do assunto, procurar literatura a respeito, é mergulhar em dias relâmpagos, pelo teor de informação que existe.

O  meu  laboratório é o lar. É nele que me abasteço, inspiro meus dias, para me tornar a cada dia, um pouco melhor.

Como você sente o seu lar? Pode contar?

Obrigada amigas(os)

Bjs, em divina amizade.

4 respostas a Meu lar

  1. Desirée disse:

    É o melhor lugar de se estar…..
    Eu amo…

    Bjs

  2. Vanessa Guzzi disse:

    Tudo que vc toca fica simplesmente aconchegante e intimista. É assim que é a nossa casa (aliás, sua casa né…), cheia de encantos, contos e histórias pra contar. Assim é você mãe!!!!

    bjs

    Nessa

  3. Sinto a minha casa como você; ela é o meu aconchego e não há lugar onde goste mais de ficar. Mesmo quando vou ao Brasil( morei lá, tenho os filhos brasileiroe e os meus pais continuam aí, assim como o meu irmão) não aguento ficar muito tempo, pois sinto falta das minhas coisas, da minha cama, do meu sofá, das minhas plantinhas. Costumo dizer que troquei a minha profissão de secretária executiva pela de Mãe; sentia que não podia deixar os meus filhos para acompanhar o patrão não tendo horas para voltar para casa. Troquei de funções e passei a ser uma secretária diferente numa empresa também muito diferente, porém muito mais humana. Não me arrependi e cá continuo apesar de já me sentir ” aposentada” da minha função de Mãe; os meus filhos já são adultos e agora começou uma nova fase na empresa…os netos…o voluntariado…a escrita. sempre, sempre sem abandonar o meu magnífico escritório. o meu lar. Beijinhos e adorei este post. Muito interessante
    Emília

  4. Maria Eli disse:

    Oi Sonia. Está muito bonito seu blog. Estou reformando minha casa e agora sim, tem um pouco mais da minha cara, gosto de luz, claridade, as portas são amplas, com vidro, transparentes. Adoro. Bjs. Eli.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *