Minha dor II - Sonia Guzzi - Alma, Luz e Cotidiano

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Minha dor II

Poemas

Minha Dor II



Minha dor não tem som e nem gesto,

segue com seu rastro pegajoso,

discreta lesma laboriosa,

e sob o sol quente e claro,

vai juntando da terra os gritos,

o sofrimento, sangue e pranto.


Minha dor sem motim ou alarde,

deita seu alento no colo débil,

de uma noite que já estremece,

desliza sem ruído nas madrugadas,

enlutada espoca silenciosa,

no subterrâneo dos lamentos,

ferida e exausta entrega à terra,

a crueldade, o sal e a água.


(Sonia Guzzi - Direitos Reservados)

 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal