Promessa sem asas - Sonia Guzzi - Alma, Luz e Cotidiano

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Promessa sem asas

Poemas

Promessa sem asas


E a flor  nasce na orla do mar.

Abraça a fada que gesticula na sua dança gentil com passos suaves.

A flor escorre buscando maturar sementes.

Um toque de mãos e transforma-se em ave.

Livre...

Reverencia e brinca com a janela do tempo estremecendo em fé.

Empurra tempestades!

Gira entre nuvens e terras onde o coração impulsiona as palavras.

Voa até o sol buscando a primavera.

Sem vestígio de fadiga!   

E gira...

Buscando o seu prumo entre o guardião  e o guerreiro com a espada de fogo.

Surgem as fendas do passado...

É tempo de acariciar pedras.

Agraciar tormentos. Acalmar tortuosa vergonha...

Solitária...

A graciosa ave fecha suas asas.

Inclina seu corpo numa dança funesta.

Torna-se novamente flor e morre.

Sem fada e sem mar...


(Sonia Guzzi - Direitos Reservados)

 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal